Diverticulite Aguda: Causas, Sintomas e Tratamentos
Diverticulite aguda

Diverticulite Aguda: Causas, Sintomas e Tratamentos

  • Post author:
  • Post category:Artigos

Diverticulite aguda, você sabe o que é?

Diverticulite é uma inflamação dos divertículos (saculações) presentes no intestino grosso. Cerca de 95% dos divertículos encontram-se no cólon sigmoide(parte do intestino grosso). É mais frequente em obesos, sedentários, tabagistas e maiores de 50 anos. É 35 vezes mais comum em países ocidentais com dietas gordurosas e pobres em fibras, do que em regiões rurais com dieta rica em fibras e pobre em gordura animal.

Os divertículos são saculações (“sacos” formados na parede) do intestino grosso no decorrer da vida, devido principalmente a pressão exercida pelo conteúdo intestinal contra esta parede. Quando há a obstrução de algum divertículo por fezes inicia-se um processo inflamatório no divertículo, que em seguida evolui para um processo infeccioso denominado diverticulite.

Quais fatores que podem aumentar o risco de desenvolver a diverticulite aguda?

Vários fatores podem aumentar o risco de desenvolver diverticulite como envelhecimento, obesidade, tabagismo (fumo), sedentarismo e dieta rica em gordura animal e pobre em fibras.
Existe uma grande crença popular que ingesta de sementes pequenas ou grãos podem gerar diverticulite, porém tal informação jamais foi comprovada cientificamente. Alguns artigos ja citam sementes e caroços como não sendo uma causa etiológica de diverticulite, não sendo contra indicado ingesta destes alimentos.

O quadro clínico se caracteriza por dor principalmente no quadrante inferior esquerdo do abdome, alteração do hábito intestinal e febre. Nos quadros mais severos pode ocorrer a obstrução intestinal ou até mesmo a perfuração do divertículo. Cerca de 25 por cento das pessoas com diverticulite aguda desenvolvem complicações como abscessos, obstrução intestinal, perfuração dos divertirmos ou peritonite. Esta última surge quando ocorre ruptura das “bolsas” infectadas ou inflamadas, derramando o conteúdo intestinal em sua cavidade abdominal. A peritonite é uma emergência médica e requer cuidados imediatos.

Uma complicação bastante frequente é a hemorragia intestinal provocada por um divertículo sangrante. A maioria resolve sem causar problemas (autolimitados), alguns requerem tratamento com vasopressores e os mais severos podem ir à cirurgia.

Como diagnosticar a diverticulite?

Pacientes com sintomas podem ser diagnosticados com uma tomografia computadorizada (98% de sensibilidade) ou com colonoscopia, ultrassom ou raio X abdominal. A TC também é útil para verificar complicações a colonoscopia deve ser evitada em vigência de quadro inflamatório agudo (diverticulite aguda).

Os casos mais brandos podem ser tratados de forma clínica com dieta, hidratação, antibióticoterapia e analgésicos.

O tratamento cirúrgico ocorre frequentemente e tem suas indicações. O tratamento cirúrgico pode ser dividido em cirurgias de urgência ou cirurgias eletivas. Para quadros de perfuração livre dos diverticulos com peritonite difusa devem ser abordados de forma emergencial. Quadros de perfuração com abscessos localizados, dependendo do tamanho do abscessos, podem ser tratados inicialmente com punção da coleção purulenta e programação posterior de cirurgia eletiva.

Pacientes com mais de dois episódios de diverticulite não complicada possuem indicação de tratamento cirúrgico eletivo.
Tais cirurgias (eletivas) são preconizadas a serem realizadas por videolaparoscopia com ressecção do segmento acometido e realização de anastomose (ligação do intestino) primariamente.